terça-feira, 3 de setembro de 2013

Entre o tempo e o espaço



Eu te vi hoje no meu sonho, você estava tão feliz, mas estava em outro lugar com outra pessoa, sentir tanta raiva, mas surgiu uma ponta de alegria, por que vi um sorriso largo no seu rosto, que eu nem lembrava mais, e parecia muito bem acompanhada, mas mesmo assim eu passei mal, pois você não lembrava mais de mim e eu não era mais o motivo de sua alegria, não estava com você, não poderia mais te abraçar como essa sua companhia lhe abraça.
É uma dor tão forte que chego a cair, uma ânsia de vômito toma conta de todo o meu corpo, mesmo colocando tudo para fora, ficando ao avesso, eu não consigo me livrar dos teus resquícios, da tua ausência permanente, não lembro quem escreveu, mas a memoria só guarda aquilo que se ama, gastar meu tempo tentando te esquecer é lembrar todo dia.
O ódio é outra forma de amar, li isso em algum lugar, é outra forma de não te esquecer, sentir raiva de não te ter mais. Existe, porém, a indiferença que é realmente o não se importar, é matar o outro dentro de você, é continuar viver bem sem se incomodar com o outro, é seguir a sua historia sem simplesmente ser tocado pela vida do outro.  É a pior coisa que se pode fazer com o outro que outrora fora o grande amor de sua vida.
Viver é se assustar consigo e com o outro, nos surpreendemos todos os dias com o inusitado da vida, essa linda caixinha de surpresas, vivenciar as dores da ausência me mostra que eu continuo viva, pois onde há dor é por que ainda existe muito amor e vida..

                                                                              Suy Melo

Nenhum comentário:

Postar um comentário